Discussão e Notícias

Weight loss products and their side effects

Portal Ateu - Fri, 06/19/2015 - 07:23

People with the strong urge of weight loss may consider the weight loss products as magical solution, but prior using this product stop and learn about the side effects that these products bring along with them. Most of the dietary pills are not substantiated by Food and Drug Administration prior being introduced in the market. In between the crowd of hundred products and companies it becomes easy for the unsafe products to make their own market staying unnoticed, until any adverse, dreadful reactions are reported against it to the FDA.

Commonly reported side effects of Diet pills

  • Stimulants are the prime ingredient in most of the weight loss supplement that alleviate the risk of stroke and heart attack.
  • Even many dietary supplements are stuffed with fat blockers that inhibit the level of nutrient absorption and become the reason for stomach upset.
  • Other common side effects of weight loss products like Petoximol and Almased are headaches, constipations and mood swings. The list does not end here; even the list also includes problems like dry mouth, dizziness, drowsiness and insomnia which can hamper your daily life routine.
  • You will be surprised to know that sometimes these stimulants are those prescribed drugs that were banned from the market and they find their way back into this market of dietary pills taking advantage of the poor norms of dietary supplements. It is hard to find a weight loss supplement that comes with zero side effects.
  • The advertisement of Petoximal claims that they are recommended by the medical practitioners; however you do not need to furnish any prescription in order to avail them from the local pharmacist shop and the doctors will never suggest and encourage you to ingest such pills like Petoximal.

Many users complained that they had become the patients of chronic constipation after ingesting the diet pills and these side effects have come into their notice within few days. And they find it hard to cure this problem and have to spend handful amount of money behind the treatment.

Many diet pills are incorporated with addictive ingredients

Often diet pills contain anti-anxiety drugs, amphetamines and even antidepressants and for your kind information it must be mentioned these are not only harmful for your body organs but are also addictive. You may get addicted to these supplements and as these are not the customary drugs that are generally taken by people, you will find it hard at first to realize the fact that you have come under the trap of this addictive products.

With the foul means of making profit many companies use this method without being concerned about the health hazards through which the users may suffer. Through their labels most of the weight loss supplements only manifest false claims. Do not be injudicious and make a smarter approach towards the situation, before buying any dietary supplement read about the users’ review and try to know the lodged allegation against it and never go by the advertisements of these weight loss products.

 

A mania da perseguição

Novo Ateísmo - Mon, 06/08/2015 - 09:50
Bill Maher dá "espetaculo". Afinal quem são todos estes que "perseguem" os cristãos?

O caminho mais rápido para a irrelevância

Novo Ateísmo - Thu, 05/28/2015 - 10:00
Como já toda a gente deve saber, a Irlanda disse que "sim" à proposta de igualdade para os nossos amigos gays e lésbicas de puderem casar com os mesmos direitos que os heteros.

Progresso civilizacional.


E ainda por cima na Irlanda, um país com fortíssimas raízes católicas.

Não é de estranhar (mas de desesperar) que no Vaticano, o Cardeal Pietro Parolin (aquele que é para todos os efeitos o número dois na hierarquia) que tal resultado é uma "derrota para a humanidade".



Duas coisas

1) continuai assim, senhores. É o caminho mais rápido para a irrelevância e menos influência.

2) uma instituição onde já foi provado que escondeu e não puniu padres pedófilos, fez o que fez com as mulheres irlandesas e os seus filhos, e diz que eutanásia, interrupção voluntária da gravidez e anticoncepcionais são pecado e as pessoas que o fazem são imorais, tem muito pouco onde se apoiar para poder dar "recados".

A porta é por ali.

O diabo está em todo o lado (aparentemente)!!

Novo Ateísmo - Wed, 05/20/2015 - 10:00
Ahhhh... que saudades de "desancar” no nosso velho Pat (e uma coisa que temos que admitir é que o homem “sofre” de longevidade). Já fazia algum tempo e já me “fazia falta”.

Ainda mais neste assunto que junta duas coisas que são importantes para mim, boas escolhas alimentares e demagogia religiosa.

Então, vamos recapitular, o nosso Pat acha que desordens alimentares podem ser alvo de um “programa de reabilitação”, mas que o mais certo é pode ser tratado “como possessão demoníaca”, ou que “é como um demónio que precisa de ser expulso”.

Exemplos de demónios...

 

 

Padre Sousa Lara, como pode ver, ainda tem muito que aprender sobre exorcismos. Fale com o Pat e abram em conjunto uma clínica de perda de peso.

O Jornal I faz uma "viagem no tempo"

Novo Ateísmo - Mon, 05/18/2015 - 10:00
O Jornal I apostou forte na promoção da ficção irracional e fez uma peça com a nova "coqueluche" dos católicos, o padre Sousa Lara.


O artigo está aqui e é de ler, para ver o que os nosso vizinhos que acreditam em demónios, possessões, e diabo.

E tudo isto como se fosse para ser levado a sério.

Como é que um jornal pode promover a irracionalidade e obscurantismo desta forma, é algo que escapa a compreensão de qualquer pessoa que viva no século 21.... ou melhor, que viva para além do séculos 18.

Mas a pior parte (para mim) até nem é essa.

Logo no parágrafo introdutório pode-se ler o seguinte

"Desde 2008 faz exorcismos todas as sextas-feiras em Lamego e já lhe passaram pelas mãos mais de 200 casos graves, alguns enviados por psiquiatras."

Se assim é, devia-se saber que psiquiatras são estes e retirar-lhes a licença. Um médico que faça tal coisa deve ser barrado de ver pacientes, uma vez que está a ter uma má prática que pode custar vidas.

(ainda) mais boa notícias

Novo Ateísmo - Thu, 05/14/2015 - 09:30


Parece que as boas notícias não vêm só de Portugal. Vejam esta última sondagem da Pew Research Center.

“A percentagem de adultos (18 anos ou mais) que se descrevem como cristãos caiu quase oito porcento em apenas sete anos, de 78.4 medido por uma sondagem da Pew em 2007 para 70.6 em 2014.
No mesmo período, a percentagem de Americanos que se descrevem como “não filiados numa religião” – sejam ateístas, agnósticos ou “nada em particular - aumentou seis pontos de 16.1% para 22.8%."




E uma coisa é certa, se observamos esta tendência num país como é os Estados Unidos, onde é um "sufoco" não se ser religioso, é um sinal que é uma consequência inevitável cada vez mais as pessoas deixarem de ser religiosos. E isso é bom.

Estamos no bom caminho.



e vão 98

Novo Ateísmo - Wed, 05/13/2015 - 04:00
98 anos sem dar qualquer sinal.

Apareceu a três crianças (bem escolhida a população diga-se), e a mais ninguém, porque isto de aparecer a fiéis é uma coisa cansativa.

E depois foi o "milagre" do sol

Um "milagre" tão portentoso que " A chuva que caía cessou, as nuvens entreabriram-se deixando ver o Sol, assemelhando-se a um disco de prata fosca, podia fitar-se sem dificuldade sem cegar (...) e que  "Muitas pessoas notaram que as suas roupas, ensopadas pela chuva, tinham secado súbitamente"(sic).



Fabuloso. Se isso não vos convence, nada convencerá!

Oh, esperem, há sempre a parte de "sacudir-se e precipitar-se em ziguezague sobre a multidão aterrorizada", afinal, nada melhor para uma demonstração do divino do que aterrorizar crentes.

Tem sido assim durante 2000 anos.

Pode ser que a semi-deusa goste de números redondos e apareça quando fizer 100 anos a "aparição". Afinal para quem vive para sempre, o que é um século?




Boas notícias em Portugal

Novo Ateísmo - Tue, 05/12/2015 - 11:28
No Diário de Notícias de hoje estava uma notícia sobre o número de crentes em Portugal, e qual a sua distribuição


Ver aqui a peça.

Reparem na inclinação da curva para os que se identificam como "sem religião". Tem sido um crescimento notável e acredito que ainda vai ser mais nos próximos anos.

E outra coisa que me interessou é os números absolutos. Os "sem religião" são o segundo maior grupo, e todos os outros somados não chegam a este grupo.

Não é de se reclamar uma "voz" mais proeminente na sociedade Portuguesa?

Selecção de talentos

Novo Ateísmo - Wed, 04/29/2015 - 07:52
Olá!

Já faz algum tempo que não tenho estado mais diretamente ativo na parte da promoção do ateísmo.

As razões foram várias, mas não são importantes de enumerar. Vamos dizer que havia alguns "sonhos de vida" que se abriram as janelas certas para concretizar.

Mas vamos ao que interessa.

Queria começar um novo projecto para a promoção do ateísmo em Português de Portugal.

Um sítio na NET para um espaço de opinião. É verdade, "um regresso às origens" (estas coisas são cíclicas).

Se alguém estiver interessado, envie-me um mail para [email protected] para falarmos um pouco melhor : )


SlimGenix Pro for France – A complete solutions

Portal Ateu - Tue, 04/07/2015 - 12:34

Are you looking forward to shed away your excess body fat and to get a lean muscular look? Your tension is going to over now, with the regular use of Slimgenix pro you can achieve your dream body. French people are hugely getting the beneficial effect with the use of this product.

What is Slimgenix pro?

It is a nature base medicated food supplement product; with the help of this anyone can get their best profile with achieving a great body. It is scientifically proved that within his supplement there are some immensely useful elements for our health which can reduce a great level of excess fat within very short period of time.

Massive popularity of this product in France: Slimgenix pro est très bien accepté complément alimentaire entre tous dans le monde entier. Frenchmen are going gaga with the result of this product. A earlier stud report shows some alarming report of obesity among France. A large section of people of their total population are affected with excess fat issue. But you will get shocked with the recent news, in a recent survey report shows Frenchmen who were accepted Slimgenix pro in their regular diet plan reduced up to ten pounds within couple of weeks. French people are very much famous for their food habit. They have consumed a lot of carbohydrates and fats in their regular diet. As a result chances of obesity were increasing their day by day. But with the regular use of Slimgenix pro they can reduce the bulking up process.

Key components of Slimgenix pro:

Slimgenix pro is a purely nature base food supplement. It contains with raspberry, green coffee, vitamin c etc. Those elements can reduce the fat storage of our body in a great manner.

Raspberry: It is the richest source of vitamin c in it. We all know that from a long period of time French men have been struggling with scurvy. For this reason they can’t chew their food properly. As a result indigestion occurs and our natural metabolism gets affected very much. Vitamin c acts as Panacea for scurvy. Raspberry ketone has certain element in it which can break the protein lipid chain of fat. As a result dissolving of fat starts very fast, this leads the weight losing process.

Green coffee: Consuming green coffee extract through Slimgenix pro has a huge beneficial effect on our body. It is the good source of caloregenic acid which has the amazing effect of inhibiting the release of glucose in our body while increasing the metabolism rate and during the fat burning process in our liver. With the regular use of Slimgenix pro the fat burning process rejuvenate easily.

Clinically proved certificates show with the regular use of this product for only four months; you can reduce up to 20 pounds. Though it is hard to believe but you can easily take the opinion of Frenchmen who have used this magical product. Laboratory proved certificates also shows the nature base authenticity of this product.

 

 

Fitness fanatics swear by Anabolic Rx24 and Pure Cambogia Ultra in Spain

Portal Ateu - Tue, 04/07/2015 - 12:19

Nobody wants to be fat. In fact everybody wan to get a slim fat free figure. There are lots of problems with the fat overweight figure. The people with excessive fat in the body are not able to wear any dresses those they want. So, the fashionable dresses like the shorts, skirts, skinnies are dream for them. Sometimes those people get humiliated by their friends or neighbors. Even some also receive insulting comments in the street. For that those people do not want to go out, they do not like to attain parties, only for the ugly look of their figure. For that the people gets frustrated and depressed. They do not like their figure any more. Anabolic Rx24 and Pure Cambogia Ultra are the two perfect weight loss and energy boosting supplement, to loss the excessive weight of the body within very short period. The people of Spain are getting a huge benefit from these two diet supplements.

Anabolic Rx24

AnabolicRx24esun suplemento de dietapara los hombres. This supplement is made with various herbal ingredients like EpimediumGrandifora (Horny Goat Weed Extract), extract of Nettle Root, extract of Wild Yam Root, extract of Saw Palmetto Fruit, extract of Sarsaparilla Root etc… All those herbal ingredients are very much advantageous for the health of male. It has several good effects on the men health.

Advantages of taking Anabolic Rx24 as diet supplement

There are lots of advantages of taking Anabolic Rx24 as diet supplement.This supplement boosts the Testosterone hormone of the male and for that the sex power of the man gets increased. The sperm count also gets increased along with that. The person gets more energy in work. The muscles of the body get increased. And for that the person be the owner of a strong and muscle body. One of the most important things is that the supplement does is the weight loss. The excessive fat of the body of the user gets burnt.

Pure Cambogia Ultra

Pure Cambogia Ultra is the most effective weight loss supplement in the world. The supplement is also very much available in Spain. The supplement is produced by the extract of the magical fruit Garcinia Cambogia. The fruit has several health benefits. It is enriched with various health ingredients. PureCambogiaUltrase hacecon el extractode esta fruta and thus is effective in such way.

Advantages of taking Pure Cambogia Ultra as diet supplement

Pure Cambogia Ultra has several good effects on human health. The main work it does is the weight reducing. It creates antioxidant in the human body and thus the excessive fat of the body gets reduced. Besides, the supplement does not allow any fat to gain in the body.The cholesterol level of the body also gets lowered by this supplement.

The two diet supplement Anabolic Rx24 and Pure Cambogia Ultra are very popular in Spain. The people of Spain are getting huge benefit by these two diet supplements. Men and women all are getting benefit from these two.

 

Factos, valores e raciocínio, parte 1.

Diário Ateísta - Fri, 12/07/2012 - 10:48
No seguimento da conversa sobre a homeopatia (1), o Desidério tentou descrever como devemos «pensar sobre problemas morais e políticos»(2). A intenção foi boa. A execução é que não. Concordo que o problema principal é não haver «um tribunal de última instância a que possamos recorrer» para determinar os valores correctos. Os valores são critérios de preferência, necessariamente subjectivos, pelo que é inútil argumentar com quem discorda dos nossos valores assumindo como premissa que os nossos são melhores. Infelizmente, o Desidério ignora as suas próprias recomendações. «Um aspecto curioso do cientificismo é a ideia de que tudo o que não é ciência não tem qualquer interesse nem valor cognitivo. Logo, é irrelevante o conhecimento da história e da filosofia, porque essas coisas não são científicas. A ironia é que quem assim pensa depois raciocina sobre questões políticas e morais à toa, sem qualquer conhecimento do que distingue um raciocínio plausível nestas áreas de um raciocínio ingénuo.»(2)

O Desidério considera que um raciocínio moral que descure a história e a filosofia é ingénuo porque o Desidério dá valor à história e à filosofia. Não dando o mesmo valor à astrologia, por exemplo, o Desidério não considera que um raciocínio moral será ingénuo só por ignorar signos e horóscopos. Mas isto resulta dos valores do Desidério. Se à pessoa hipotética que o Desidério critica só importa “o que é ciência”, ela também não julgará ingénuo ignorar a filosofia. Isto não é um problema no raciocínio. É apenas consequência dos seus valores e, sem um “tribunal de última instância” para estes, não se pode classificar um raciocínio de “ingénuo” só por partir de valores diferentes. Além disso, o Desidério critica um espantalho. Qualquer pessoa dá valor a coisas “que não são ciência”, nem seja ir à casa de banho quando está aflito, dormir descansado e não levar pontapés na cara. O Desidério assume um ser inexistente que só dá valor ao “que é ciência” para concluir que é ingénuo ter valores diferentes dos do Desidério e depois afirma que «temos de levar muito a sério o que as pessoas que estão em conflito connosco realmente pensam». Ao contrário dos valores, que são subjectivos, um raciocínio pode ser objectivamente incorrecto. Este é um bom exemplo disso.

Mais à frente, o Desidério agrava a confusão quando invoca Rawls. Uma forma de conceber a justiça é imaginar que estamos a criar leis e regras morais para uma sociedade antes de saber se vamos nascer ricos ou pobres, rapazes ou raparigas, bonitos ou feios, fortes ou fracos e assim por diante. Esta ideia de Rawls é boa porque, atrás deste véu de ignorância, podemos identificar valores consensuais distintos dos que somos tentados a defender quando já sabemos o que nos calhou. Por exemplo, um rico pode achar que não devia pagar tantos impostos mas, se não soubesse se ia nascer numa família rica ou pobre, provavelmente veria com melhores olhos a redistribuição fiscal. No entanto, a abordagem de Rawls não serve quando os próprios valores estão em causa. Quem gosta mais de arriscar irá preferir uma sociedade com menos redistribuição e mais oportunidades de enriquecimento enquanto que alguém avesso ao risco preferirá mais apoio social mesmo à custa de mais impostos. Esta experiência conceptual de Rawls é boa para identificar os nossos valores mais fundamentais e derivar deles regras sociais mas não serve para resolvermos divergências entre esses valores.

É por isso que esta forma de pensar sobre o problema da homeopatia não serve: «eu não sei se serei como sou — sensato, científico e tudo isso — ou um tresloucado. [...] Fazendo este simples exercício torna-se óbvio que não tem qualquer relevância que os tresloucados realmente sejam tresloucados e não tenham razão [e] a minha preocupação [é que todos se sintam] tão bem nessa sociedade quanto possível, sem prejudicar o outro». Isto pode ser óbvio para o Desidério mas não é consensual. O Desidério prefere uma sociedade onde as pessoas se “sintam tão bem quanto possível” mesmo que vivam enganadas. Eu, pelo contrário, dou mais valor à verdade e prefiro uma sociedade que distinga entre verdade e falsidade mesmo que isso seja desconfortável. Principalmente quando se trata do Estado certificar profissões, que é o que estamos a discutir para a homeopatia. Nesse caso parece-me óbvio que importa saber se estão a certificar algo que é verdade ou as parvoíces de algum tresloucado.

Finalmente, o Desidério alega que «no caso da homeopatia [e] no caso do ensino do criacionismo aos filhos dos criacionistas [não] há conflitos inequívocos de interesses. De uma parte há apenas um interesse vago em excluir da nossa sociedade pessoas de um certo tipo.» Não é verdade. Vender água da torneira como cura ou ensinar disparates a crianças criam conflitos inequívocos entre os interesses de quem o faz e os interesses de quem é enganado. Quanto à treta da exclusão, é outro espantalho. O que está em causa é apenas a sensatez de pôr o Estado a certificar crenças como as da homeopatia ou do criacionismo.

O raciocínio do Desidério não serve para pensar em problemas morais e políticos. Não parte das premissas certas, ataca espantalhos, tem inferências inválidas e contradiz-se, ora chamando ingénuo a quem não dá valor à filosofia do Desidério, ora dizendo que é «é completamente irrelevante o que nós achamos que [os outros] deviam preferir». Mas a pergunta é boa. «Como pensar correctamente sobre conflitos morais e políticos?» Como este post já vai longo e ando atrasado com outras tretas, agora tenho de ficar por aqui. Mas na segunda parte, daqui a uns posts, tentarei responder a esta pergunta.

1- A incompreensão profunda das diferenças cruciais. 2- Desidério Murcho, Saber pensar sobre problemas morais e políticos.

Artigos relacionados:

  1. Economismo, parte 2.
  2. ATEUS, RELIGIOSOS E TASCAS (2.ª parte)
  3. Crime em Informática, parte 2.

Censo Internacional de Ateus

Diário Ateísta - Fri, 12/07/2012 - 10:05

Atenção, tropa! Está havendo uma iniciativa da Atheist Aliance International para contar quantos ateus, agnósticos, humanistas, livre pensadores e não-religiosos existem pelo mundo.

Atheist Census

O interessante é que os ateus do Brasil caíram de cabeça e estão liderando o número de ateus que registraram o voto. Tudo culpa do Paulopes! Não aparecia nem entre os 10 quando ele postou o artigo comentando o censo e agora o Brasil é o primeirão.

Artigos relacionados:

  1. Censo de 2011: quantos infiéis somos?
  2. 2º Encontro Nacional de Ateus vai ser em Fevereiro de 2013
  3. Novo Ateus do Brasil!

Oscar Niemeyer II

Diário Ateísta - Thu, 12/06/2012 - 05:52

Outro “local de fé”, o Casino do Funchal, também idealizado pelo “arquitecto das curvas”. Ao estilo da Catedral de Brasília, embora sem a sua exuberância.

CasinoFunchal

 


Filed under: Religião

Artigos relacionados:

  1. Os velhos
  2. O Drama, o Horror, a Tragédia -II
  3. Ensino de religião

Meh… Eu não assisto TV mesmo…

Diário Ateísta - Wed, 12/05/2012 - 09:59

Saiu uma notícia no Paulopes que vai deixar as donas de casa bem tristes. A Globo tá arranjando uns esquemas aí pra dar mais destaque à Marcha para Jesus no ano que vem em troca de apoio dos pastores na realização de um evento fracassado que ela tá tentando fazer chamado Festival de Promessas.

Pra você ter uma idéia de como é fracassada essa idéia, o primeiro Festival de Promessas feito no ano passado juntou só 20.000 pessoas, sendo que a estimativa era de 200.000.A Prefeitura do Rio teria gasto quase três milhões de reais pra acertar a infraestrutura do local!

Eu não sei se a Globo tá fazendo isso pra apirraçar a Record (que é algo que eu aprovo), ou se ela tá querendo mesmo ter pessoas que gostem de música gospel no perfil de assistintes (É assistintes ou espectadores? Foda-se, se alguém perguntar é um neologismo.) da emissora.

Acho que a Som Livre também tá nessa. Crente não tem gosto próprio e compra o que o pastor manda, o que faz com que a venda de música gospel, apesar do som horrível, seja rentável. Sério, esse pastor deve ser um sádico ou algo assim.

Mas voltando ao assunto, a Globo quer ganhar mais dinheiro em cima dos crentes e por isso você vai ter que assistir mais Marcha para Jesus no Jornal Naconal. Quer dizer, se você quiser assistir TV, né? Porque eu não assisto já faz uns anos.

Artigos relacionados:

  1. Espíritas rodam a baiana por causa de quadro do Fantástico
  2. Meu e-mail é pinico de crente agora?
  3. É MESMO ASSIM

Que vontade de comprar Nike agora…

Diário Ateísta - Wed, 12/05/2012 - 09:44

A Nike fez um comercial que muito vos interessa. Vou deixar com vocês o que foi publicado no Paulopes (sério, o que você tá fazendo aqui se as notícias praticamente são todas de lá? :P )

A Nike acaba de colocar no Youtube anúncio afirmando que “faz tempo que a gente fala que Deus é brasileiro”, mas “grandeza não vem de cima”.

O vídeo mostra Neymar e Anderson Silva (foto), entre outros, para dizer que “a grandeza vem do nosso esforço”, e não de “uma força mágica ao nosso redor”.

Cara, que vontade de gastar quinhentos reais pra comprar tênis que me deu agora! Ui que loucura!

Eu acho que eles estão apelando para o público alvo certo. Quem mais precisa de tênis senão os ateus que vivem fugindo de apanhar dos religiosos? :P

Artigos relacionados:

  1. Meu e-mail é pinico de crente agora?
  2. O Papa sabe qual é a vontade de Deus ?
  3. Agora a culpa é do “mistério”

Aumenta o interesse pelo ateísmo no Brasil

Diário Ateísta - Tue, 12/04/2012 - 09:59

De acordo com o Google Trends, as pessoas estão cada vez mais procurando “ateu” no Google.

O gráfico mostra um crescimento bem sólido pela busca. Sinal de que a gente tá bem na fita, mano!

Leia mais sobre essa notícia no Paulopes.

A propósito, acho que eu vou quebrar o galho e ajudar com algumas das pesquisas feitas no Google:

Uma das maiores buscas envolvendo a palavra ateu é pra saber o feminino de ateu. Já deixo aqui que o feminino de ateu é ateia (rima com colmeia, centopeia… maldita reforma ortográfica que sumiu com o acento!).

O antônimo de ateu é teísta, mas acho a palavra muito cafona. Eu falo que o contrário de ateu é crente, mas pelo jeito eu vou ter que achar um termo melhor porque todo mundo acha que eu falo de evangélico. Não-ateu faz com que o contrário de ateu soe mais negativo… Taí! Gostei!

Sobre as frases de ateus… bem… eu estou fazendo um trabalhinho por fora de tentar juntar frases legítimas, com fontes e essa cacetada toda. Dà um trabalho do caramba e o sistema do WordPress não dá um lugar bacana pra colocar essas frases. Enfim, aguentem firme que cedo ou tarde eu compilo as melhores frases de ateus do Brasil.

Sobre ser ateu, é que nem ser não-ateu, só que sem a ladaínha religiosa. O imposto vem o mesmo tanto, a cerveja desce redonda do mesmo jeito, os lanches do Burger King tem o mesmo sabor… Fazer sexo pode ser um pouquinho melhor mas nada muito significativo… O que muda mesmo é que você precisa saber direção defensiva, pra fugir da Opus Dei e dos Cientologistas, e quando alguém que você gosta acaba morrendo você fica triste e chora ao invés de comemorar que ela vai para o céu.

Sobre agnóstico, é a mesma coisa que ser ateu, só que sem dizer que é ateu. Cria aquela dúvida, sabe? “Será que ele é?” Ajudava a apanhar menos antigamente mas hoje o ateísmo é mais popular e não tem mais tantos “vias de fato” acontecendo.

Artigos relacionados:

  1. Novo Ateus do Brasil!
  2. Os nazis e o desdém pelo ateísmo
  3. O Papa também é guiado pelo Espírito Santo

13 Coisas a se evitar para melhorar o Ateísmo

Diário Ateísta - Mon, 12/03/2012 - 07:43

Este gato é melhor que os outros gatos

Algo bastante interessante que surgiu há algum tempo atrás nos cafundós da Internet americana que pode virar de cabeça pra baixo a maneira como os ateus conversam com as outras pessoas. Coisa pra mudar a maneira como os religiosos nos enxergam e pra melhor!

O segredo está em sumir ou modificar os clichés, os chavões, os jargões e as expressões que os ateus usam o tempo todo. E a gente sabe bem que todo ateu fala do mesmo jeito porque todo ateu acessa os mesmos sites — quem aqui não acessou o Ateus.net alguma vez na vida?

Mas vamos por parte. A história é a seguinte. Christian Phiatt escreveu uma série de artigos chamadas “Clichés Cristãos a se Evitar“. Esses artigos bombaram na Internet, tanto entre os cristãos quanto entre os ateus. Daí, Vic Wang teve a idéia de escrever a série “Clichés Ateístas a se Evitar“, que também fez sucesso. Então eu tive a idéia de chupinhar a idéia dos outros e fazer essa lista em português, levando em conta a nossa cultura.

Então vamos lá.

1. Não diga “Eu não acredito em Deus”

Aparentemente não tem nada de errado com essa expressão. Ela resume bem o fato de que ateus não acreditam em Deus e não teria forma melhor de explicar o que é o ateísmo… se as pessoas entendessem essas palavras do jeito que entendemos.

O negócio é o seguinte: as pessoas não andam com dicionários na mão e tendem a levar tudo na ambiguidade. Vide as discussões sobre a “teoria” da evolução quando trocam o termo cientifico pelo vulgar. As pessoas ficam com certos significados na cabeça que tendem a afetar a percepção daquilo que a gente tá tentando dizer.

A palavra “acreditar” não é só usada no sentido de acreditar na existência de alguma coisa, mas muitas vezes é usada no sentido de “concordar”, “dar suporte”. Uma pessoa pode dizer que “não acredita na pena de morte” e ela não estará dizendo que a pena de morte não exista por aí, mas sim que não concorda com ela.

Isso é importante na nossa frase. Já repararam como várias pessoas ficam irritadas quando alguém diz que não acredita em Deus? Já repararam que algumas tentam retrucar com algo como “você não acredita no amor?” ou algo parecido? Ou lembra quando algum crente diz que “no fundo os ateus sabem que Deus existe mas escolheram rejeitá-lo”? Então.

O que você deve dizer é: “Eu não acho que Deus existe”. Esse termo é muito melhor que o antigo porque:

  1. Diz exatamente a mesma coisa, com mais ou menos o mesmo tamanho de palavras. Ou seja, é tão eficiente quanto a frase anterior.
  2. Faz a gente parecer menos arrogante, o que melhora a nossa imagem e facilita “levar a pessoa para o mau caminho”.
  3. A frase anterior dava a entender subtamente que acreditar em Deus é a posição normal, fazendo os ateus parecerem mais como o grupo “do contra”. Essa daí não. Ela só diz que você não acredita que Deus existe.
  4. Ela bota uma ênfase maior na dúvida, e a dúvida é a maior semente do ateísmo que se pode colocar numa pessoa religiosa. É com a dúvida que você destrói a fé. Melhor que mandar um religioso ir pastar é fazê-lo mandar o padre ir pastar daqui a 5 anos, não acha?

Você pode achar que dizer que “acha” é um detrimento, mas a frase é mais para dizer o que você pensa, não pra sair já chutando a crença do ouvinte. Se ele quiser saber mais o porquê de você achar que deus não existe, aí é que você destrói a fé do coitado. E se o cara não quiser discutir por algum motivo, pelo menos ele não vai te achar um cara chato.

2. Não diga “Fulano perdeu a fé”

Vou resumir bem esta daqui. Ateísmo não deve parecer algo negativo. Vocês viram ali em cima na anterior? Não devemos dar a entender que “ter fé” é o padrão. Muito menos devemos dar a entender que pra ser ateu você precisa perder alguma coisa.

Pensa na gripe. Quando você tá com gripe e depois sara, você diz que “perdeu a gripe”? Coisa ruim não se perde!

É só falar que “Fulano virou ateu” que tá bom. Tentar florear com um “Oh! Perdeu a fé!” só vai fazer a gente parecer mais mal do que já é.

3. Não diga “Fulano realmente acredita em…”

Vamos começar com um exemplo pra poder entender essa bagaça. “Os católicos realmente acreditam que a hóstia e o vinho viram a carne e o sangue de Jesus Cristo!”

O problema é algo que muitos de vocês, que assim como eu já foram de uma determinada religião, vão notar bem fácil. Eu já fui católico e eu nunca acreditei que a hóstia e o vinho realmente viravam a carne e o sangue de Cristo.

Tem gente que acredita, mas convenhamos que a maioria das pessoas normais não acreditam. A maioria dos católicos nem vão na igreja. Ao falar dos católicos que seguem a religião estritamente, você não está conseguindo conversar com o cara que só vai em batizado. Justo ele que é mais fácil de desconverter ou de explicar o que é o ateísmo.

O negócio é dizer que “Fulano alega acreditar” em alguma coisa. Há uma sutileza aí. Você dá a entender que a pessoa fala acredita em alguma coisa mas pode ter alguma dúvida no seu íntimo. O que provavelmente é verdade na maioria dos casos.

Não só fica mais empático, como também faz a alegação soar um absurdo maior ainda. Falando desse jeito, por exemplo, o cristão só alega que acredita na transubstanciação, e que não acredita realmente nisso porque é absurdo demais.

4. Não diga que Jesus nunca existiu

Vamos falar a verdade. Jesus místico é mais improvável que um time de futebol cujos jogadores são 11 ursos com macacos nas costas. Mas isso não quer dizer que não existiu uma pessoa que pode ter dado origem ao mito, certo?

E a Bíblia, ironicamente, não só dá a entender que ele provavelmente existiu como uma pessoa de verdade, como também mostra que ele provavelmente era um charlatão. Sério!

  • A Bíblia diz que o profeta iria se chamar Emanuel. Se Jesus nunca existiu, por que que já não deram esse nome pra ele e engambelaram os judeus também? Porque provavelmente ele se chamava Jesus mesmo, ou algo parecido.
  • A Bíblia fala que ele não podia fazer milagres na cidade natal dele, exceto cura pela fé, que é aquele golpe de encostar em um suposto cego e falar que ele tá enxergando agora. Mas pera lá… Por que que ele não podia fazer milagres em sua cidade natal? Será que o povo de Belém sabia de alguma coisa que a gente deveria saber? Hein? ;)
  • Mateus e Lucas criaram duas estórias estapafúrdias para justificar o fato dele ser um nazareno e ter nascido em Belém, visto que a profecia dizia que o messias nasceria em Belém. Lucas fala de um censo que nunca aconteceu. Mateus fala de uma matança de bebês que nunca aconteceu. Não era mais fácil dizer que ele era de Belém logo?

A Bíblia dá corda pra Jesus se enforcar. Muitos detalhes pra justificar divergências que poderiam simplesmente não ter acontecido se ele era uma invenção completa.

Enfim, dizer que Jesus nunca existiu te impede de usar a própria Bíblia pra provar que Jesus nunca existiu… digo, que Jesus não era Deus.

5. Não cite Lucas 19:27 como prova de que Jesus era violento

Lucas 19:27 diz o seguinte:

E quanto àqueles meus inimigos que não quiseram que eu reinasse sobre eles, trazei-os aqui, e matai-os diante de mim.

Tipo, Jesus disse isso, mas ele tava contando uma parábola. Uma parábola bem WTF, mas ele não mandou mesmo matar ninguém. Vai lá ler o capítulo inteiro e você vai ver que, a partir do versículo 11, é uma estória.

Você quer pagar mico? Não quer pagar mico, né? Então presta atenção onde consegue as frases.

6. Não fique zoando o Gênesis

Gênesis é o livro mais conhecido da Bíblia, o mais fácil de zoar e o mais ignorado dos religiosos. Não adianta tentar mostrar que a Bíblia não é um livro confiável fazendo troça do Gênesis porque os próprios religiosos, na maioria das vezes, dizem que é só uma alegoria e que não aconteceu de verdade.

O que você precisa fazer é pegar trechos da Bíblia que as pessoas têm mais dificuldade de dizer que são alegorias, como aquela parte onde Jesus destrói uma figueira por não dar figos fora de época, animais nascendo listrados porque pintaram as cercas do curral, Jesus dizendo que o fim do mundo vai acontecer antes dos 12 apóstolos morrerem…

Aliás, olha só que legal: Sabia que, de acordo com a Bíblia, Jesus entrou em Jerusalém montado em dois burros ao mesmo tempo?

7. Se for pra zoar a Arca de Noé, pelo menos saiba os números

Tá, é difícil não zoar a Arca de Noé. Mas olha só que legal: não só Noé teria colocado um par de cada animal na arca, como ele teria colocado sete pares de todos os animais considerados puros, que são a maioria dos animais. Só os animais impuros é que tinham um par.

Ou seja, só piorou o bagulho.

8. Os livros da Bíblia não foram decididos por votação popular

Todo mundo pensa que a Bíblia de hoje foi decidida no Concílio de Nicéia no século IV. Ledo engano. Os livros da Bíblia mudavam o tempo todo, pelo menos até o Concílio de Trento no século XVI, que inventou essa bagaça de “livros canônicos”. E não foi votação não, foi decreto da Santa Sé.

9. A Bíblia não sofreu traduções demais para se saber o que foi originalmente dito

Muitos falam que de tantas traduções se perderam as mensagens originais, mas o esquema nunca foi o de telefone sem-fio. Geralmente as traduções vinham de uma versão em hebreu do Velho Testamento e de uma versão em grego do Novo Testamento.

Mas isso é bom, porque prova que os apóstolos não podiam ter escrito os evangelhos. Eles falavam aramaico e eram analfabetos. Só Paulo que não era analfabeto, mas ele também não era apóstolo.

10. Esqueça o filme Zeitgeist

O filme é tão chinfrin que praticamente todos os sites de ceticismo já refutaram essa droga de filme. Citou Zeitgeist, pagou mico.

11. Não diga que religião “não faz sentido”

Esse problema é bem parecido com o primeiro. Religião é cheio de umas lorotas sem pé nem cabeça que botam a lógica pra correr. O problema é que se você dizer que religião ou uma alegação religiosa “não faz sentido”, vai soar para os outros como “você não conseguiu entender”.

Sabe quando uma pessoa vê um problema de matemática, puxa os cabelos e grita “Isso não faz sentido!”? Então, é isso que os crentes estão entendendo.

O certo é você especificar melhor qual que é o problema das alegações. O conceito da Trindade, por exemplo, não é que não faz sentido, é que ele é incoerente. Um Deus que ama todo mundo mas manda pessoas pro Inferno, não é que não faz sentido, é que isso é um paradoxo e é antiético.

Ou seja, o problema não é com a gente, não é a gente que não consegue entender. O problema é a religião, que tem essas falhas grandes que nos impede de acreditar nelas.

Decore estas palavras: ilógico, contraditório, ininteligível, falho…

12. Nunca diga que não se pode escolher o que acreditar da Bíblia

Não só os crentes simplesmente fazem isso, como eles precisam fazê-lo. Muitas passagens contradizem muitas outras. Dá até pra apoiar o aborto e a homossexualidade usando a Bíblia.

Além do mais, as pessoas que acreditam na Bíblia e não escolhem a dedo as passagens em que acreditar são os fundamentalistas e a última coisa que eu quero é dar a entender que eles são mais coerentes do que um crente normal.

13. Não reclame quando os cristãos derem a entender que um serial killer pode ir para o paraíso se no leito de morte ele virar cristão

Primeiro, a maioria dos cristãos gostam de pensar que uma pessoa pode se redimir de algo ruim que fizeram, e isso não é exatamente um pensamento ruim a ser cultivado. Se a gente colocar isso de uma maneira secular, uma pessoa que cometeu um erro pode fazer por merecer um perdão.

Dito isso, se for para reclamar, tente reclamar de coisas como a doutrina da salvação irrevogável. Imagina o contrário do exemplo acima: um cristão de repente vira um serial killer e sai por aí matando todo tipo de gente até a morte, sem se arrepender. Pela doutrina cristã, essa pessoa vai pro céu porque já foi cristã e, portanto, salva. Eles até usam isso para justificar coisas como o batismo de crianças. Você pode até fazer perguntas do tipo “Como Hitler era católico, por essa doutrina ele vai para o céu mas pessoas como o Einstein e o Ghandi não vão?” É uma doutrina perversa se parar para pensar, não é?

Artigos relacionados:

  1. 13 Coisas a se evitar para melhorar o Ateísmo
  2. Se Deus existe porque é que acontecem coisas tão más?
  3. E se a Associação Ateísta Portuguesa (AAP) convidasse os católicos para pensarem na fábula de Cristo e nas mentiras fundamentais da ICAR?

Treta da semana (passada): desinformação.

Diário Ateísta - Sun, 12/02/2012 - 16:20
Segundo o Pinto Balsemão, é necessário limitar a “desinformação” na Internet, onde há informações relevantes mas onde também, «misturado com isto tudo, há rumores que nunca são confirmados». Além disso, «As redes sociais vieram agravar este fenómeno”» (1). Achei curioso. O Pinto Balsemão é o presidente da Impresa, detentora de revistas como a Caras (2) e a Activa (3), além da SIC, onde a Maya deita cartas, o que sugere muito pouca exigência e rigor na informação. Defende também que «sejam colocados limites a essa desinformação» e pergunta «Até que ponto devemos ser tolerantes com a intolerância?»

A primeira parte é a hipocrisia costumeira de uma indústria habituada aos monopólios. Era fácil fazer dinheiro com publicações da treta vendendo opiniões escritas à pressa com fotografias de stock para dar cor. Hoje faz-se isso nos blogs, que são de borla e aos montes. O mercado dos posts em revista e televisão está a contrair, prejudicando a empresa do Pinto Balsemão. Mesmo no conteúdo de qualidade, o gratuito tira cada vez mais negócio ao pago. Se bem que seja necessário pagar a um profissional para produzir regularmente, e por encomenda, material de qualidade, há muitos amadores com capacidade e vontade para criar, mesmo que esporadicamente, conteúdos de valor sem cobrar nada por isso. Com milhões desses a um click de distância é difícil competir. Veja-se, por exemplo, o que a Wikipedia tem feito ao negócio das enciclopédias. Quando Pinto Balsemão diz “limitar a desinformação” o que quer dizer é restringir a publicação amadora para limitar a concorrência que esta lhe faz.

A conversa da intolerância tem, basicamente, o mesmo objectivo. «Até que ponto devemos ser tolerantes com a intolerância?» Até ao ponto em que se torne intolerável. Aquém disso, tolera-se. Se alguém for intolerante aos meus posts, tolero perfeitamente que não os leia. Se quiser criticar, escarnecer, troçar ou insultar, que fique à vontade. Tanto me faz. A intolerância só é intolerável se nos impõe algo que não podemos evitar. A censura, por exemplo, é uma forma intolerável de intolerância. Logo por azar, é essa que o Pinto Balsemão defende. «Os cidadãos “que defendem a liberdade de expressão” poderão ser levados a exigir que “sejam colocados limites a essa desinformação”». Queixa-se de que «há dificuldade em saber quem é quem» e defende que «os meios ditos tradicionais mantenham as suas funções de mensageiro de filtrador, de veiculador de opiniões e de ‘aguilhão’ da opinião pública». Ou seja, quer limitar a liberdade de expressão e o direito à manifestação anónima só para combater a tal “desinformação”. Quer impedir que se diga por aí o que ele não quer que se diga. Essa intolerância é que é intolerável.

É verdade que a tecnologia moderna ampliou muito a nossa liberdade de expressão e que essa liberdade exige alguma sensatez para usar de forma proveitosa. Daí se terem agravado problemas antigos como o rumor e a difamação, e terem surgido problemas novos como o dos melgas que enchem caixas de comentários com divagações ininteligíveis ou ladainhas repetitivas. Mas a mesma tecnologia que agrava esses problemas dá a cada um de nós as ferramentas para os resolver. É fácil testar o fundamento dos rumores, desmentir difamações e ignorar ou filtrar o ruído. Em vez de estarmos dependentes do tal “mensageiro filtrador e veiculador de opiniões” do Pinto Balsemão, com um pouco de conhecimento e espírito crítico cada um safa-se bem por si sem precisar que censurem o que quer que seja.

Mas este, é claro, acaba por ser o problema fundamental. A carreira de pessoas como o Pinto Balsemão, quer na política quer à frente de empresas como a que ele lidera agora, seria muito mais difícil com um público informado, céptico e proficiente a topar-lhes a treta. O melhor é colocar já “limites à desinformação” não vá o pessoal aprender a distinguir entre o que é verdade e o que se vende como o sendo.

1- I Online, Pinto Balsemão admite que será necessário "limitar desinformação" da Internet
2- Por exemplo, Irmã de Penélope Cruz pode estar grávida Também pode não estar. Não querem dar azo a rumores infundados.
3- Por exemplo, Kim Kardashian confessa inveja de irmã Kendall Jenner, «Kim Kardashian escreveu, no twitter, que tem inveja relativamente à meia-irmã, Kendall Jenner, que acabou de fazer capa da Vogue Austrália». Claramente, é preciso acabar com esta coisa das redes sociais e deixar as notícias a cargo de profissionais competentes que saibam escolher o que é importante sabermos.

Artigos relacionados:

  1. Treta da semana (passada): na maior.
  2. Treta da semana (passada): espetar para preservar.
  3. Treta da semana (passada): life coaching.

O Universo tem um Propósito?, de Neil deGrasse Tyson

Diário Ateísta - Fri, 11/30/2012 - 23:22
o-universo-tem-um-propositoO Universo tem um propósito? Não tenho certeza. Mas qualquer um que expresse uma resposta mais definitiva à questão, está afirmamndo o acesso a um conhecimento não baseado em fundamentos empíricos. Esta maneira de pensa notavelmente persistente, comum na maioria das religiões e alguns ramos da filosofia

Artigos relacionados:

  1. OVNIs e o argumento da ignorância, de Neil deGrasse Tyson
  2. Em defesa do Big Bang, de Neil deGrasse Tyson
  3. Pois claro que tem de ser um “tratamento especial”!
Syndicate content